Husky
Emergências
Telefone:
91 21 900 91
Contactos
R. Francisco Lucas Pires, 121
3030-489 Coimbra

Telefones: 239 781 415
telemóvel: 912190091

E-mail: clinica@cvetsolum.pt
Horário de Funcionamento

Segunda a sábado:
10h às 13h e
15h às 20h
Clínica Veterinária da Solum, todos os Direitos Reservados 2012.
Desenvolvido por Ponto d. Vista design e ProjectBox.
GASTROENTERITE HEMORRÁGICA CANINA

A Gastroenterite Hemorrágica é uma patologia canina de aparecimento súbito. Os sintomas clínicos deste tipo de gastroenterite são os vómitos e/ou a diarreia contendo quantidades variáveis de sangue. O sangue pode apresentar-se de côr vermelho vivo, ou vermelho escuro/acastanhado.

 

Como é diagnosticada a Gastroenterite Hemorrágica Canina?

O diagnóstico é feito por exclusão. Outras possíveis causas englobam úlceras, trauma, tumores ou obstruções gastrointestinais, corpos estranhos, doenças infecciosas, e desordens de coagulação. Para avaliação destas outras causas poderão ser necessários exames complementares como por exemplo: Hemograma, bioquímicas séricas, urianálise, radiografias, provas de coagulação, exames coprológicos, ecografias ou endoscopia ao aparelho gastrointestinal. Devido aos custos económicos que alguns destes testes possam representar, é por vezes prudente, iniciar a terapia de suporte aguardando alguma resposta positiva.
 

 

Em que consiste a terapêutica?

Cães com este tipo de gastroenterite, tendem a estar profundamente doentes, e quando não tratados em tempo útil poderão vir a óbito. Na maior parte dos casos, o curso da doença é de apenas alguns dias quando atempadamente acompanhada, tratada, e fornecida terapia de suporte. A fluidoterapia endovenosa é de longe o ponto mais importante na terapêutica. A desidratação dará origem a um sangue mais viscoso que terá maior dificuldade em circular nos vasos, agravando a situação clínica com má perfusão dos tecidos, e o animal estará predisposto a uma desordem de coagulação fatal denominada de Coagulação Intravascular Disseminada. Uma vez atingido este estado, a situação clinica é normalmente irreversível resultando em morte.
Uma terapia adicional e de suporte pode incluir antibioterapia e proteção gástrica.